Frank Herzberg - Bassist

Frank Herzberg Trio - HANDMADE

Um grande número de músicos gravita na órbita do jazz atualmente, mas poucos possuem a arte, a visão e o senso de propósito do baixista Frank Herzberg. HANDMADE, o novo lançamento do Frank Herzberg Trio, é uma vitrine para sua música diabolicamente mercurial e tem virado a cabeça de muita gente. Não há maior autoridade em música brasileira e jazz do que o grande Arnaldo DeSouteiro, que saudou HANDMADE chamando-o de, indubitavelmente, o melhor álbum de jazz do ano e, excitadamente, expôs as virtudes do mais recente trabalho de Herzberg:

Eles desafiam os limites, porque isto é música criada por almas abençoadas, não simplesmente músicos. Eles enviam uma mensagem espiritual através da música e falam uma linguagem universal. Há, nela, um pouco de Brasil, mas muito jazz. Acima de tudo, há originalidade em toda parte. É realmente um repertório desafiador, completamente imprevisível, que combina densidade e intensidade no mais alto nível possível.

Herzberg nasceu e foi criado em Berlim Oriental, na Alemanha.  Aprimorou suas habilidades em sua pátria antes de ir para os Estados Unidos estudar na Berklee College of Music e com o legendário Charlie Banacos. Enquanto muitos de seus colegas, como o baterista Antônio Sanchez e o saxofonista Jaques Schwarz-Bart, juntaram suas coisas, quando o curso terminou, e foram buscar seu espaço em Nova Iorque, Herzberg tomou o caminho menos trilhado. Deixou seu coração guiá-lo: acompanhou seu amor brasileiro, a pianista Marta Karassawa, a São Paulo. No Brasil, descobriu um idioma e uma vida diferentes, mas instalou-se confortavelmente no cenário musical da pátria adotada por ele.

Desde que se mudou para o Brasil, Herzberg tem se tornado uma referência musical em uma diversidade de cenários. Seus créditos orquestrais incluem trabalhos com a Orquestra Mediterrânea, com a Banda Sinfônica do Estado de São Paulo e com a orquestra Jazz Sinfônica, estas duas últimas lhe proporcionaram oportunidades para acompanhar a realeza musical composta por profissionais célebres como David Liebman, Hermeto Pascoal, Egberto Gismonti e Airto Moreira. Herzberg é, ainda, presença ativa em estúdios, trabalhando como produtor e/ou baixista contratado. A partir de 1997, Frank Herzberg passou a oferecer curso de improvisação de jazz para músicos profissionais e professores de música. Em 2008, começou a ministrar lições on-line, enviando vídeos ou áudios pela internet.

Em sua carreira, ele pode ser visto nos palcos, estúdios ou oficinas musicais em companhia de músicos do quilate de Horace Silver, Antônio Sanchez, John Stein, Zé Eduardo Nazário, Ithamara Koorax, Bocato, Guilherme Franco, Teco Cardoso, Proveta, André Juarez, Torsten de Winkel, Bob Moses, Jaques Schwartzbart, Steve Hass, Cornelius Claudio Kreusch, Andre Pawelski e Chris Allen, entre outros. Além disso, apresenta-se regularmente com o grupo de John Stein, com o Marta Karassawa Quintet e o André Juarez Quarteto.

“HANDMADE TOUR” Datas

Embora não tenham faltado a Herzberg oportunidades para expressar-se musicalmente, o desejo de que sua música extraordinária atingisse as pessoas finalmente se concretizou. Em 2004, ampliou seu círculo de amigos com a inclusão de duas almas musicais que compartilham as mesmas opiniões e os mesmos objetivos: o baterista Zé Eduardo Nazário e o pianista Alexandre Zamith. Nascia o FRANK HERZBERG TRIO. Zamith, que possui Doutorado em Performance Clássica, e Nazário, que acumula um conhecimento enciclopédico de ritmos do Brasil e muitos outros, provaram ser os comparsas perfeitos para Herzberg ao longo destes oito anos de parceria. Este trio tem emocionado as audiências em festivais, clubes e workshops e tem servido como uma entidade encorajadora para as gravações bem-recebidas do vibrafonista André Juarez, no álbum Canja, e de John Stein, no álbum “Concerto Internacional de Jazz”, mas traz sua própria música poderosa para HANDMADE.

Com habilidade e verve, o Trio explora a experiência desorientadora da divisão ímpar, (Don’t Talk Crazy), as flutuantes tendências ocultas do baião (A Xepa) e composições com matizes hispânicas (Lorca), mas esses três exemplos mal arranham a superfície. Too Much, Charlie é baseado em ritmos variáveis de funk e swing. Mil Saudades é um alimento elegante para a alma. E uma suíte em quatro partes, Twelve Bars Down the Road I Met You, é uma completa e atrativa exploração do blues.

John Stein, um colaborador frequente de Herzberg, acertou em cheio quando afirmou que Handmade é um nome honesto para este álbum.

Handmade: mãos sobre teclas, mãos segurando arcos e percutindo cordas, mãos usando baquetas, peles e pratos. Isto é música feita à mão, com propósito, devoção e suor. Os ingredientes adquiridos através de estudos de uma vida são, então, somados, subtraídos, misturados, combinados, refinados e envelhecidos como vinho em barris especiais até o momento certo. Agora é hora de prová-la.

Stein, DeSouterio e incontáveis audiências de brasileiros foram conquistados pela música maravilhosa que flui das mãos e dos corações destes três homens. Agora, com a publicação de HANDMADE, fãs de música de todo o mundo terão oportunidade de ouvir este trio inigualável na plenitude de seus poderes.